Modulo 2 Reflexoes

Questão- Módulo 2

- Da sua experiência pessoal ou profissional pode relatar que tipo de tecnologias viu usar por aluno com necessidades especiais ou pessoa com deficiência que contribuíssem de forma decisiva para a respetiva participação e atividade?

Reflexão

Ao tentar falar da minha experiência profissional, relativamente à utilização das tecnologias e o modo decisivo como estas foram e são facilitadoras da participação e atividade dos alunos com NEE, não posso deixar de refletir sobre o meu início de carreira. E atrevo-me a dizer…. Ainda sou do tempo… em que um aluno com graves problemas motores e de comunicação era “obrigado” a comunicar apenas através de piscadelas de olho, que por mais interessantes e sexy pudessem ser, limitavam de tal forma a sua participação que muitas das pessoas que o não conheciam eram levadas a pensar que o João, nome fictício, tinha associado à sua paralisia cerebral uma deficiência mental grave. Esta situação levava-o, muitas vezes, a desistir de comunicar e a ficar revoltado perante os comentários pouco abonatórios das suas capacidades. Lembro-me do esforço que o João fazia, quando, na tentativa de melhorarmos o seu desempenho, tentávamos escrever na máquina elétrica, com auxílio do capacete e ponteira, tudo o que lhe ia na alma, mas que o corpo não permitia… Que frustração para ambos, apesar da vontade e do esforço quase sobre humano. Lembro-me, também, da felicidade deste rapaz quando a equipa de paralisia cerebral, em conjunto com alguns técnicos informáticos, desenvolveram software e equipamento (uns óculos “mágicos”) que lhe permitiu, com a tal piscadela de olho, aceder a um computador e a um teclado virtual possibilitando-lhe a comunicação. Parabéns João! Conseguiste! Aprendi muito contigo e não te esqueço!
Outra situação que ainda recordo é as longas… mesmo longas horas que passava a escrever braille e a fazer relevos, para que os meus colegas pudessem apresentar estes materiais aos alunos cegos, de modo a que estes participassem ativamente nas aulas. Cabe também aqui uma pequena lembrança sobre os pictogramas (SPC) bem antigos e fotocopiados à revelia, (porque os originais eram bem caros…) e ainda umas cópias piratas de outros materiais facilitadores da nossa ação.
Como estamos hoje longe desses tempos…. (que para mim parecem ter sido ontem…)
Hoje, felizmente temos, à nossa disposição, várias ferramentas que, aplicadas aos alunos com NEE permitem, de fato, a sua inclusão.
Neste momento, devido à problemática dos alunos com quem trabalho, as ferramentas que utilizo são outras. Assim, tenho utilizado para além de outras, os sistemas de comunicação aumentativa e alternativa de comunicação de modo a que os alunos possam não só realizar novas aprendizagens, mas também possam comunicar melhor, na tentativa de facilitar a sua inclusão. A título de exemplo refiro o PictoSelector e o ARASAAC. Estas duas ferramentas têm permitido uma evolução enorme na comunicação de duas jovens.
Por outro lado têm também facilitado o desenvolvimento da leitura e escrita em outros alunos.
Com estas ferramentas foi possível a construção de tabelas de comunicação, de tabelas de atividades diárias e para além de muitas outras possibilidades, têm permitido a construção de fichas de trabalho: materiais temáticos, receitas de culinária, planos de trabalho….
Tentarei na minha apresentação referente a este módulo, mostrar algumas dessas tarefas. É evidente que este trabalho não tem sido solitário. O grupo de professoras onde me enquadro, na escola, e a terapeuta do Centro de Recurso para a Inclusão do CASCI (CRI- CASCI) em muito contribui para a construção destes recursos.
Não pretendendo que este comentário se alongue, dado que reconheço que não se torna fácil para os participantes ler tal manancial de opiniões, gostaria de acrescentar que, apesar de haver, neste momento, ferramentas facilitadoras, continuam a existir barreiras, tal como alguns colegas já referiram. Assim, aponto novamente aquelas que me parecem mais evidentes:

  1. O custo do software e hardware (apesar de haver já muitas ferramentas “livres”)
  2. O desconhecimento das ferramentas Web (também me enquadro neste grupo)
  3. O desconhecimento sobre as diferentes ferramentas à disposição (falta de formação/disponibilidade para a exploração, dado que nem todas são “amigáveis”/ intuitivas)
Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License